sexta-feira, 17 de outubro de 2008

O problema é:

A maioria das pessoas tem amigos de infância, sabe, eu também tenho a minha amiga. Sim a minha, porque creio que ainda conheça e tenha contato com apenas uma. Além de amigos de escola, aquele que você estudou durante anos e aprontavam várias durante as aulas. Já nesse quesito creio que eu seja um pouquinho melhor porque tenho duas amigas que ainda mantenho contato. Antes eu ficava chateada por isso, por não ter amigos e tal, mas teve um momento em que eu parei e percebi o real motivo de eu não tê-los.
Quando somos pequenos, todos temos praticamente a mesma idade biológica e mental, mas com a evolução da parte biológica, a parte mental pode caminhar no ritmo normal, anteceder ou então retroceder (que é o pior dos casos). E o que eu venho percebendo é que a partir "da minha geração" muitas das crianças e conseqüentemente dos adolescentes não vem acompanhando nem ao menos o ritmo normal entre a idade biológica e mental, muito pior, a idade mental está bem abaixo do esperado. E pelo menos comigo não foi assim, pois desde quando ainda estava no fundamental sempre tive e me entendia melhor com pessoas alguns anos mais velhos. E além do que, agora, mais do que antes eu percebo a futilidade e imaturidade das pessoas da minha faixa etária.
E o pior é que talvez não seja só a parte mental que esteja ficando para trás. No colégio que eu estudava, se tornou comum que todo ano, as salas que se formam no terceiro ano tiram uma foto da turma, esse quadro fica exposto no corredor do colégio. No total são oito quadros hoje, e como se formam duas turmas todo ano, há quadros desde 2004. E se você reparar bem, os caras que se formaram em 2004 já eram homens, tinham barba e eram enormes. E conforme os anos foram passando, ao olhar as fotografias você tem a sensação de que os caras já não são mais homens e sim ainda meninos.
Eu ainda estou tentando levantar hipóteses para a causa desses problemas, mas ainda não há nada confirmado, pode ser que isso só ocorra aqui na minha pequena cidade (se for esse o real motivo, pra minha sorte que não continuarei aqui por muito tempo), ou então a culpa seja dos pais, por uma série de motivos.
O que eu realmente sei, é que a coisa mais difícil que existe é encontrar pessoas suficientemente inteligentes para se poder conversar sobre assuntos sérios e importantes para uma troca de opiniões e para que cada dia evoluir um pouco e não parar no tempo, se tornando uma pessoa antiquada e fútil.

2 comentários:

Rafael Zarpellon disse...

Talvez o problema da barba seja genético.
E quem sabe a superproteção dos pais tenha deixado os filhos mais bobos?
É um bom tema pra sua monografia, ou quem sabe mestrado. Se bem que até lá sua cabeça vai fervilhar de idéias diferentes.
Bom texto woman of my life!
Luv u :*

Paulo Cesar disse...

Uma sugestão é a de que você trate desse mesmo assunto na outra cidade para onde pretende se mudar. As pessoas, tenho certeza, são produtos . Foram criadas de um jeito, dentro de um contexto familiar específico e, então, não é posível generalizar . Por outro lado, há uma situação mundial, onde rola o afastamento da cultura pensante e as pessoas tendem a ver como verdade aquilo que é refletido nas imagens. Talvez, quando você se formou, ainda fosse possível, normal, necessário ,m e desse prazer a leitura de um bom livro , a pesquisa de uma situação arangente, etc., e tudo isso foi substituido por releases , que costumo dizer " releases são como uma opinião sobre o nada ". Então, penso, olhe mais em torno. Olhe com uma certa vontade de aceitar , porque sempe alguém tem alguma coisa boa pra trocar. às vezes são mesmo coisas inúteis , mas a sociedade, a tecnologia, o domínio da verdade por pessoas despreparadas e a satuação em termos de informações, tudo isso leva a uma espécie de narcose. Se o assunto te interessar, sua biblioteca municipal deve ter um livro de marshal mc Luan, chamado " O Meio é a mensagem " , onde você vai poder compreender boa parte das suas dúvidas e, inclusive, como o ser humano é levado à narcose e, para sua surpresa, você vai descob rir que, em 1956 (no brasil em 1964) Mc Luan já descrevia a sociedade de hoje, com tanta clareza que chega a chocar. A narcose é apenas uma das coisas que vem com a saturação e, claro, talvez os rapazes não estejam preparados nem mesmo para poderem ler esse tipo de livro. Fica essa sugestão. Mas não se ache diferente !